sexta-feira, abril 27, 2007

Silvério o Gato (196? - 2007)


Que me desculpem, mas tinha que ser aqui...demorou mas... já andava a matutar e vai e não vai , deixo aqui um apontamento , porque tinha que ser... os amigos vão perceber.
É com saudade que me despeço de um amigo músico, sem bajulices, o melhor caixa com quem toquei na rua, era aquele, que nunca me fazia sentir perdido, fazia o que tinha a fazer e acima de tudo ouvia os outros.
Como o Casal não tinha gaiteiro, baptizou-me um dia como Gaiteiro do Casal, aceitei e agradeci orgulhoso.
Devo-lhe muitas horas bem passadas a tocar a gaita na sua companhia, sem me esquecer de ninguém mas, agora é dele que me lembro.
Nos próximos verões e nas minhas fugidias escapadelas de fim-de-semana ao Casal de Stº Amaro-Penacova ele já não vai estar por ali.
Os lugares fazem-se com gente, está mais pobre esse e aquele lugar, onde nos encontrávamos às vezes.

Até sempre Silvério(O Gato)
Miguel

2 comentários:

Rui disse...

Deixa saudade... muita.
Da música que fazia e dos acepipes... que eram arte nas suas mãos. Tinha um coração do seu tamanho... E depois? Depois, a amizade assim é eterna.
Até sempre Gato.

cavaleiro andante disse...

fica mais pobre aquele lugar e o nosso palco na espinheira.
até sempre amigo